Vi a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu,

da parte de Deus, preparada como uma noiva adornada
para o seu marido. Apocalipse 21.2 (NVI)

Destaques

 
Aquele que obedece é feliz PDF Imprimir E-mail
Escrito por www.lpc.org.br   
Dom, 15 de Junho de 2014 10:36

‘’Bem-aventurados aqueles que lêem e ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas.’’ Ap 1.3

A recomendação bíblica exige que seja feita uma conciliação indissociável entre saber, ouvir e obedecer. O cristianismo histórico tem um conteúdo que informa a mente e transforma a vida, porém, tal informação precisa desembocar numa prática factível. Cristo deseja que as pessoas sejam atingidas pela mensagem que alcança o intelecto e muda o coração. 

Ele valoriza tanto o conhecimento que atrela a vida eterna ao conhecer a Deus: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” (Jo 17. 3). O conhecimento do qual Jesus fala não está desvinculado da fé e da ética. Conhecer é tão necessário quanto ter fé e obedecer. Devemos conhecer, crer e obedecer a palavra de Deus. De sorte que o Senhor repudia o saber que não pode ser medido pela prática.

Sendo assim, não basta ler e ouvir. É preciso guardar aquilo que foi recebido como informação. Só são verdadeiramente felizes aqueles que leem, ouvem e obedecem. Quando as pessoas apenas leem e ouvem, mas não guardam as palavras da profecia, não são verdadeiramente felizes. Você almeja a felicidade? Então leve a sério a recomendação da Escritura. Não seja apenas um ouvinte ou leitor da palavra de Deus. Seja também um operoso praticante daquilo que lê e ouve. 

 
Evidências da fé salvadora PDF Imprimir E-mail
Escrito por www.lpc.org.br   
Dom, 08 de Junho de 2014 11:33

Jesus e o pedido do centurião‘’Em verdade vos afirmo que nem mesmo em Israel achei fé como esta.’’ Mt 8.10

O testemunho bíblico destaca três evidências que atestam a presença da fé salvadora (Mt 8. 5-13) . A primeira evidência é a oração (Mt 8. 5 e 6). O centurião implora por ajuda ao Senhor. A oração, como insígnia da fé, centraliza o seu pedido na pessoa de Jesus. Quem tem fé em Jesus ora. E aquele que ora ao Senhor tem fé.   

A segunda evidência é a humildade (Mt 8. 8).Os mediadores, que intercederam pelo centurião, disseram a Jesus: “Ele é digno de que lhe faças isto” (Lc 7. 4). Todavia, o centurião disse: “Senhor, não sou digno” (Mt 8. 8). A fé salvadora não se estriba naquilo que as pessoas dizem. Ela faz com que o homem seja despido da autoconfiança para ser revestido da justiça daquele que é santo e majestoso. A presença da humildade revela a existência da fé salvadora. 

A terceira evidência é o reconhecimento da autoridade absoluta de Cristo (Mt 8. 8, 9).O centurião está convencido de que Cristo tem autoridade absoluta sobre todas as coisas. Toda criação obedece à sua voz. A morte está debaixo de seu governo. Os demônios lhe submetem. As enfermidades não podem resistir a sua ordem. Tudo se curva diante de seu poder. A fé salvadora tem como evidências a oração, a humildade e a confiança plena na autoridade de Cristo. A fé salvadora atesta que Cristo é o Senhor.

Última atualização em Dom, 08 de Junho de 2014 11:40
 
Família, lugar de lealdade PDF Imprimir E-mail
Escrito por www.lpc.org.br   
Dom, 01 de Junho de 2014 01:42

amigos 1186193 87130914‘’...o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus...’ Rt 1:16

Os nossos amigos mais achegados e leais devem ser os membros da nossa própria família. Infelizmente, escasseiam-se os amigos verdadeiros. Nem todas as pessoas que desfrutam da nossa amizade são leais a nós. A palavra de Deus fala de Jonadabe, sobrinho do rei Davi, que deu um perverso conselho para Amnon, filho mais velho do rei. A influência perversa de Jonadabe trouxe grandes tragédias para a família de Davi.   

Há amigos nocivos que são agentes de morte. Há amigos utilitaristas que só se aproximam de você para conseguir algum proveito. Há amigos de boteco que apenas alugam seus ouvidos para conversas tolas. O verdadeiro amigo é aquele que está ao seu lado na hora mais escura da sua vida. É aquele que chega quando todos já se foram. O amigo ama sempre e na desventura é que se faz o irmão. A família é esse canteiro divino onde devemos cultivar a amizade verdadeira. 

Um dos exemplos clássicos dessa amizade é a devoção de Rute à sua sogra Noemi. Muito embora Rute fosse moabita e Noemi uma viúva pobre, estrangeira e idosa, Rute apegou-se a ela e tornou-se-lhe melhor do que dez filhos. Jesus é o nosso exemplo mais excelente de amizade verdadeira. Ele não apenas nos chamou de amigos, mas nos demonstrou seu mais acendrado amor na cruz do Calvário.

 

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 7 de 29